18
Set 11




Jules Mazarino cardeal e estadista itlaiano, que serviu como primeiro ministro em França, entre 1642 e 1661.







Jean Baptiste Colbert foi o ministro das finanças no reinado de Luís XIV;






Diálogo extraído dos "Diálogos de Estado": Colbert, Jean Baptiste



"Colbert: Para encontrar dinheiro, há um momento em que enganar [o contribuinte] já não é possível. Eu gostaria, Senhor Superintendente, que me explicasse como é que é possível continuar a gastar quando já se está endividado até ao pescoço…

Mazarino: Se se é um simples mortal, claro está, quando se está coberto de dívidas, vai-se parar à prisão. Mas o Estado… o Estado, esse, é diferente!!! Não se pode mandar o Estado para a prisão. Então, ele continua a endividar-se… Todos os Estados o fazem!

Colbert: Ah sim? O Senhor acha isso mesmo ? Contudo, precisamos de dinheiro. E como é que havemos de o obter se já criámos todos os impostos imagináveis?

Mazarino: Criam-se outros.

Colbert: Mas já não podemos lançar mais impostos sobre os pobres.

Mazarino: Sim, é impossível.

Colbert: E então os ricos?

Mazarino: Os ricos também não. Eles não gastariam mais. Um rico que gasta faz viver centenas de pobres.

Colbert: Então como havemos de fazer?

Mazarino: Colbert! Tu pensas como um queijo, como um penico de um doente! Há uma quantidade enorme de gente situada entre os ricos e os pobres: São os que trabalham sonhando em vir a enriquecer e temendo
ficarem pobres. É a esses que devemos lançar mais impostos, cada vez mais, sempre mais! Esses, quanto mais lhes tirarmos mais eles trabalharão para compensarem o que lhes tiramos. É um reservatório inesgotável."



Desabafo meu:
("Oh manheeeee, este senhor esteve cá em Portugal recentemente???")



Semeado por alaranjacorderosa às 12:52


Como toda a gente sabe - rei morto, rei posto.
Mal o actor Andy Withfield decidiu afastar-se das gravações da nova temporada de Saprtacus, a produtora STARZ tratou de iniciar as buscar de um novo gladiador. A escolha recaiu em Liam McIntyre, e segundo consta, o próprio Andy ajudou na escolha do seu substituto.
A ideia seria substituir o Andy com o mínimo possível de alterações na série, o que levou à caracterização do Liam, de modo a que se assemelhasse ao Spartacus original. O que não foi muito difícil, já que eles são realmente parecidos (mas sem o olhão azul do Andy...). Pediram-lhe, até, que aumentasse a massa muscular para ficar um verdadeiro gladiador. E, convenhamos, que nós gostamos de gladiadores grandes e fortes, hehehehe.
A série foi gravada, com muitas vozes contra a substituição, mas....the show must go on, e a produtora tinha que continuar a lucrar com o sucesso de Spartacus.
Andy faleceu, Liam acabou as gravações.
A nova série que servirá de sequela a "Spartacus: Blod and Sand" estreia em Janeiro do próximo ano. E eu estou em pulgas para ver!!
O títutlo será Spartacus: Vengeance, e contará a história dos gladiadores depois da fuga do ludus de Batiatus. Para quem seguiu a série maníacamanete como eu: a Lucrecia não morreu, e está de volta para tormento de muitos!!! :D :D :D
Espero que o novo Spartacus não desiluda, e vou tentar (prometo) não estar a cada episódio a fazer comparações dele com o Andy, que isso tiraria todo o encanto à série.

 A ver vamos... e como diria o outro: let's look at da traila:




Semeado por alaranjacorderosa às 12:22

Ah a frescura na face de não cumprir um dever!
Faltar é positivamente estar no campo!
Que refúgio o não se poder ter confiança em nós!
Respiro melhor agora que passaram as horas dos encontros.
Faltei a todos, com uma deliberação do desleixo,
Fiquei esperando a vontade de ir para lá, que eu saberia que não vinha.
Sou livre, contra a sociedade organizada e vestida.
Estou nu, e mergulho na água da minha imaginação.
É tarde para eu estar em qualquer dos dois pontos onde estaria à mesma hora,
Deliberadamente à mesma hora...
Está bem, ficarei aqui sonhando versos e sorrindo em itálico.
É tão engraçada esta parte assistente da vida!
Até não consigo acender o cigarro seguinte... Se é um gesto,
Fique com os outros, que me esperam, no desencontro que é a vida.
Ah a frescura na face de não cumprir um dever!
Faltar é positivamente estar no campo!
Que refúgio o não se poder ter confiança em nós!
Respiro melhor agora que passaram as horas dos encontros.
Faltei a todos, com uma deliberação do desleixo,
Fiquei esperando a vontade de ir para lá, que eu saberia que não vinha.
Sou livre, contra a sociedade organizada e vestida.
Estou nu, e mergulho na água da minha imaginação.
É tarde para eu estar em qualquer dos dois pontos onde estaria à mesma hora,
Deliberadamente à mesma hora...
Está bem, ficarei aqui sonhando versos e sorrindo em itálico.
É tão engraçada esta parte assistente da vida!
Até não consigo acender o cigarro seguinte... Se é um gesto,
Fique com os outros, que me esperam, no desencontro que é a vida.


Álvaro de Campos



.
Semeado por alaranjacorderosa às 11:50

Armazém da fruta
Procurar a semente
 
Ecce Laranja
Gominhos visitantes
conter12
Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

12
14
15
16

19
20
22
24

25
26
27
28
29
30


blogs SAPO